Dermatologia Brasília - Dr Francisco Leite - Brasilia DF

Queda de Cabelos em Mulheres

Queda de Cabelos em Mulheres

Queda de Cabelos em Mulheres: Cuidados que Evitam o Problema

 Sem percebermos, podemos estar danificando nossos cabelos. São pequenos descuidos no dia a dia que, se somados, podem levar a considerável queda dos cabelos. Leia as perguntas abaixo. Se sua resposta for sim a qualquer uma delas, preste atenção na explicação que se segue a ela. Pode estar aí a causa do seu problema capilar.

1 – Você seca os cabelos vigorosamente com a toalha?

Os cabelos molhados são mais elásticos e mais vulneráveis a quebra do que os cabelos secos. Esfregar os cabelos de modo agressivo com a toalha pode levar a sua quebra e queda. Ao invés de esfregar, apenas aplique e pressione a toalha, ou deixe secar ao ar.

2 – Você penteia ou escova seus cabelos ainda molhados?

Se você é caucasiano ou asiático, com cabelos bem lisos, escová-los ou penteá-los molhados pode esgarçar a estrutura do fio e fazê-lo se romper. Evite isso. Já, ao contrário, se você tem o cabelo crespo (afrodescendentes, por exemplo) procure penteá-los ou escová-los levemente umedecidos. Ao fazer isto, os cabelos crespos sofrem menos danos e diminuem-se as chances de ruptura do fio.

3 – Você usa secador ou “chapinha” nos cabelos?

O ar muito quente de um secador de cabelo pode expulsar a água do interior do fio de modo traumático e deixá-lo rachado. Em Brasília por exemplo, é recomendável permitir que os cabelos sequem por si. Diminuir o número de vezes por semana que você usa o secador é um bom meio de deixar os cabelos mais encorpados e de reduzir as quebras de fios. Se você usa as famosas “chapinhas”, cuide para não deixar as pranchas quentes paradas por mais de 1 ou 2 segundos no mesmo ponto. Não importa o tipo do seu cabelo, o aquecimento excessivo pode danificá-lo mesmo.

4 – Você usa produtos fixadores que prometem fixação prolongada?

Apesar deles manterem o seu penteado quase invulnerável, se você usar um pente ou uma escova para estilizar depois de ter aplicado o fixador o resultado será a quebra dos fios. Em longo prazo, o dano ao cabelo é considerável . Reduzir o uso destes produtos pode diminuir significativamente a queda.

5 – Você segue o ritual das 100 escovadas por dia nos seus cabelos?

Isto é um mito. Quanto mais escovação, mais traumas a estrutura dos fios, mais fios quebrados e pontas duplas. Os dermatologistas recomendam manter as escovações ao mínimo para reduzir o trauma excessivo e deixar os fios mais íntegros.

6 – Você faz tinturas, permanentes ou alisamentos com frequência?

Mais uma vez aqui a regra é ter moderação e usar produtos de boa qualidade. No máximo, tinturas 1x/mês. Permanentes e alisamentos requerem ainda mais cautela.

7 – Você usa faixas, rabos de cavalo, tranças e extensões capilares?

Se muito apertadas, com tração excessiva ou por tempo prolongado podem levar ao rompimento e/ou queda por arrancamento dos fios. Há até um termo médico para isso: Alopecia tracional.

8 – Você deixa o Sol descolorir seus cabelos?

Exposição excessiva ao sol torna os cabelos fracos, secos, ásperos, desbotados e frágeis. Isto piora ainda mais se você estiver usando tinturas clareadoras. Se expor seus cabelos ao sol for inevitável, procure usar condicionadores e cremes “leave in” que contenham filtros solares em sua fórmula (óxido de zinco por exemplo) e use um chapéu de abas largas, o que proteger também a sua face dos danos da radiação UV.

9-Você não usa condicionadores de cabelo após os xampus?

É recomendável usá-los sempre após cada lavada. Eles ajudam a desembaraçar, dar o brilho e podem diminuir a eletricidade estática nos fios. Aumentam a força dos fios diante dos elementos do ambiente.

10 – E ao frequentar piscinas, o que você faz?

Existem produtos condicionadores específicos para protegerem os fios do cloro ou dos sais da água tratada. Alguns são para uso antes de nadar, outros para serem aplicados após sair da piscina. Vale a pena usá-los.

Podem parecer pequenos cuidados, mas sua aplicação diária pode fazer uma grande diferença. Em quedas de cabelo mais intensas, persistentes ou se houver outros sintomas no couro cabeludo, o dermatologista deve ser procurado imediatamente.

Queda de Cabelos em Mulheres: Principais Causas

 

 

O tamanho do medo… A queda dos cabelos ou”alopecia” pode ser assustadora para as mulheres. Assim que começam a perder cabelos, elas não têm uma clara noção de quantos cairão e nem quando pararão de cair… É nessa hora que muitas começam uma busca frenética por produtos e medicamentos através da Internet . Na maioria das vezes esses remédios são ineficientes e exorbitantemente caros… Mas, felizmente, ajuda está disponível através dos recursos oferecidos, de maneira ética, pela dermatologia moderna.

Época de maior ocorrência: Nos EUA estima-se que metade das mulheres apresentará alguma forma de queda de cabelos aos 50 anos de idade.É uma etapa da vida onde elas têm que lidar com diversos agentes estressores até então inexistentes: a menopausa ; a Síndrome do Ninho Vazio (quando os filhos não estão mais em casa); o envelhecimento dos pais (quase sempre as filhas assumem esta responsabilidade de modo mais intenso ) e o próprio envelhecimento.

Tipos mais frequentes de Alopecia:

1 – Eflúvio telógeno: Caracteriza-se por uma diminuição homogênea e global do número dos fios em toda a superfície do couro cabeludo. A queda ocorre ao pentearem-se, escovarem-se ou até mesmo lavarem-se os cabelos. Este tipo de queda pode ser causado por alterações hormonais inespecíficas, tireoidianas, nutricionais ou relacionadas ao envelhecimento (menopausa). O uso de certos medicamentos ou a presença de algumas doenças concomitantes podem ocasioná-lo. A gravidez e o parto também. Seu tratamento dependerá do médico identificar e corrigir o problema que iniciou a perda capilar. Quase sempre é reversível.

2 – Alopecia Androgenética de Padrão Feminino: Pode começar na adolescência ou mais tardiamente (dos 30 aos 45 anos). Caracteriza-se por perda capilar no topo da cabeça e nas entradas laterais da fronte, mas poupando a parte posterior da cabeça. Os cabelos começam a ficar mais finos e curtos, num processo de miniaturização dos fios. A miniaturização pode ser tão intensa que a mulher nota que seu rabo de cavalo está menor ou que o couro cabeludo aparece muito, dependendo de como ela se pentear.

Algumas mulheres podem apresentar uma sensibilidade aumentada aos hormônios masculinos e, nesse caso, junto com a alopecia pode ocorrer acne persistente na região do queixo e aparecimento de pelos calibrosos e excessivos na área do buço e região embaixo do queixo (hirsutismo). Esses achados podem ainda ser os primeiros sinais de uma diabetes incipiente e por isso merecem ser examinados imediatamente pelos médicos dermatologista e endocrinologista.

3 – Alopecia por danos Químicos: O cabelo pode danificar-se tanto por agressões químicas (poluição, cloro de piscinas, a água do mar, tintas, clareadores, alisadores), quanto físicas (luz solar, ar quente de secadores, tranças, apliques, pentes inadequados etc). Em Brasília a baixa umidade cria um inimigo a mais: a eletricidade estática. Se as agressões forem intensas a ponto de remover ou esfoliar as escamas protetoras da cutícula, alterando a arquitetura complexa do fio, o cabelo fica opaco e sem brilho. Se ainda mais intensas, as partes internas do fio podem ser expostas, e o cabelo torna-se fraco e quebradiço. Pode haver separação das pontas, chamada tricoptilose. Se a agressão persistir, a medula pode ser atingida, o fio morrer e cair. Dosar e minimizar esses danos, que são evitáveis, já pode ser o suficiente para manter o cabelo saudável e bonito. Mas existem produtos e cuidados que podem ajudar a devolver o brilho, diminuir a eletricidade estática, restaurar a força e proteger os fios contra o sol. E será sobre isso que falaremos semana que vem.

Se você está tendo algum problema na estrutura dos seus fios ou no seu couro cabeludo procure imediatamente seu médico dermatologista. Ele é o profissional mais gabaritado e indicado a ajudá-la.

Queda de Cabelos em Mulheres: Um trabalho de Detetive

 A avaliação das possíveis causas para a queda de cabelos é extremamente complexa. São mais de 50 possibilidades, desde uma simples anemia atá mesmo alguns tipos de cânceres, e doenças sérias. Hoje veremos as causas e tipos mais frequentes de queda de cabelo.

As 13 Causas Mais Frequentes de Queda de Cabelo:

1 – Calvície Hereditária ou Alopecia Androgenética: Por genes adquiridos de nossos pais, esta é a causa mais frequente. 80 milhões de pessoas (homens e mulheres) são afetados só nos EUA. O especialista pode diagnosticá-la, na maioria das vezes, pelo simples exame mais apurado do couro cabeludo e dermatoscopia digital. Geralmente é controlada e revertida através dos recursos oferecidos, de maneira ética, pela dermatologia moderna.

2 – Alopecia Areata: Doença auto-imune, leva a queda de cabelo não somente no couro cabeludo, como em qualquer parte do corpo. Ocorre em qualquer idade (mesmo na infância).O cabelos caem em placas, deixando a pele perfeitamente lisa. Necessita investigação aprofundada e tratamento específico. Pode ser irreversível.

3 – Foliculite Decalvante: Condição rara, onde homens ou mulheres antes saudáveis começam a desenvolver inflamações e supurações (foliculites) no couro cabeludo que resultam em cicatrizes e queloides com a perda definitiva dos cabelos nas áreas afetadas. O tratamento visa frear a inflamação e deter o avanço da queda.

4 – Doença Sistêmica Subjacente: A queda de cabelo pode ser o sinal de apresentação de cerca de 30 doenças. Diagnosticada e tratada a doença de base, a queda de cabelo cessa.

5 – Tratamentos Para Câncer: A radioterapia e alguns tipos de quimioterapia podem causar queda dos cabelos. Na quimioterapia ela é temporária, mas pode ser traumática e estigmatizante.

6 – Estresse Físico: Perda significativa de cabelos pode ocorrer após partos, grandes cirurgias, febres altas e infecções severas. Usualmente podem ser revertidas.

7 – Dietas: Ingestão inadequada de proteínas, ferro insuficiente ou distúrbios alimentares como anorexia e bulimia podem levar a queda de cabelo.

8 – Medicamentos: Incluem-se os para afinar o sangue, doses altas de vitamina A, e diversas drogas para artrite, depressão, gota, cardiopatias e hipertensão arterial.

9 – Desequilíbrios Hormonais: Problemas tireoidianos, ovarianos, supra-renais e outros desequilíbrios hormonais são causas importantes de queda de cabelo. Algumas mulheres podem apresentar acentuação na queda de cabelo ao iniciar ou ao interromper o uso de anticoncepcionais.

10 – Tinea Capitis: Tipo contagioso de micose do couro cabeludo. Pode levar a quebra dos fios em sua base ou até mesmo, se não tratada, a queda dos cabelos. Ocorre geralmente em crianças e indivíduos com baixa imunidade.

11 – Produtos Químicos Capilares: Uso excessivo de permanentes, tintas, relaxantes e sprays diversos podem levar a quebra, dano a estrutura ou queda capilar. Cuidado especial com o formol.

12 – Certos Tipos de Penteados. Escovar ou Secar com força e frequência excessiva: Anos de uso de penteados que exerçam tração sobre os fios, como em rabos de cavalo ou tranças muito tensas, podem determinar um tipo de queda conhecida como alopecia tracional.

13 – Tricotilomania: Distúrbio comportamental compulsivo que leva ao contínuo arrancamento, corte ou tracionamento dos fios no cabelo, sobrancelhas, cílios, barba ou qualquer outra área pilosa. Tratamento psicológico é necessário.

Com tantas e diversas causas é necessário um trabalho de detetive para distinguir o verdadeiro motivo da queda de cabelo feminino. Se você está tendo algum problema de queda de cabelo, procure imediatamente seu médico dermatologista. Ele é o profissional mais gabaritado e indicado para descobrir o culpado!

Dr. Francisco Leite – Dermatologista DF